Polícia apresenta traficante preso em hotel de luxo em Salvador

11/09/2012 - 19:50 |

 

REDAÇÃO

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP) apresentou na tarde desta terça-feira (11), o homem apontado como um dos principais traficantes de drogas no estado. Adílson Souza Lima, o “Roceirinho”, 31 anos, foi preso em companhia de Vilmar Florêncio da Silva, 33 anos, o “Dona Vilma”, suspeito de ser assaltante de bancos, no último final de semana em um hotel de luxo em Salvador, no bairro de Ondina, em Salvador.

Com eles a polícia encontrou R$ 168 mil que, segundo o delegado Jorge Figueiredo, do Departamento de Narcóticos (Denarc), seria resultado da venda de drogas.

Segundo o diretor do Denarc, as notas serão encaminhadas para perícia no Departamento de Polícia Técnica (DPT). “Roceirinho” é indicado pela polícia como líder do tráfico de drogas em Itaparica, Vera Cruz e municípios da Costa do Dendê.

A quadrilha de “Roceirinho” é suspeita de ameaçar representantes do Ministério Público, da Justiça e das Polícias Civil e Militar, de acordo a investigação. De acordo coma  polícia, tanto “Roceirinho” como “Dona Vilma” tinham mandado de prisão preventiva em aberto.

Os suspeitos também são apontados pela polícia como integrantes de uma quadrilha que participou de um assalto a banco na cidade de Boa Nova. Apontado como financiador de quadrilhas de roubos a instituições financeiras, Adílson estava com uma CHN falsa em nome de Edvaldo Alves Silva, ao ser capturado dentro do hotel, em Ondina.

Autuado por uso de documento falso e falsidade ideológica, “Roceirinho” teve a prisão em flagrante convertida pela Justiça em prisão preventiva. Ele e “Dona Vilma” ficarão recolhidos no Presídio de Salvador.

Conforme a polícia, “Roceirinho” é indiciado em três inquéritos e responde a um processo. Ele seria o mandante de uma uma chacina que vitimou cinco pessoas da mesma família, ocorrida em 2010 na localidade de Barra do Gil, em Vera Cruz, na Ilha de Itaparica. Ele também teria mandado executar o ex-parceiro Edson Conceição, por uma suposta dívida de R$ 30 mil.

O suspeito chegou a ser preso em setembro de 2011 durante uma operação do Grupo Avançado de Repressão a Crimes Contra Instituições Financeiras (Garcif), mas foi liberado duas semanas depois através de um habeas corpus. Na ocasião, outros cinco comparsas de “Roceirinho” também foram detidos e a polícia apreendeu armas de diversos calibres, além de munições, coletes a prova de balas, carregadores, veículos e R$ 405 mil em dinheiro, referetes ao assalto ao banco de Boa Nova.

TAGS: