Saída de Ana Hollanda do Ministério da cultura deve ser anunciada nesta terça-feira

11/09/2012 - 14:37 |

 

REDAÇÃO

A ministra Ana de Hollanda (Cultura) deve deixar o cargo nesta terça-feira (11). Para seu lugar, a presidente Dilma Rousseff deve indicar a senadora petista Marta Suplicy (SP). Segundo a GloboNews, a ministra deve anunciar sua saída após reunião com a presidente prevista para ocorrer na tarde de hoje.

Fontes do Planalto citam o descontentamento de Ana de Hollanda com os os recursos do orçamento como a principal causa da saída do governo. No dia 15 do mês passado, a ministra enviou uma carta à colega  Miriam Belchior, do  Planejamento, reclamando da situação da sua pasta. O teor do documento vazou para a imprensa, o que teria irritado a presidente Dilma e as ministras envolvidas.

Segundo a carta,  a taxa de evasão dos funcionários aprovados no último concurso público para o MinC foi de 53% — 55% de funcionários diretamente vinculados ao ministério; 70% no Instituto Brasileiro de Museus, 40% na Funarte; 67% na Fundação Cultural Palmares; 37% na Fundação Biblioteca Nacional e 44% no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Das 1.029 vagas abertas em 2010, 541 não estão preenchidas. A ministra lembrou ainda que o quadro se agrava com a previsão de 772 aposentadorias até 2017.

De acordo com a Folha, a troca estava prevista para ocorrer depois das eleições, mas pode ser antecipada devido à insatisfação de Ana Hollanda. A participação de Marta na campanha do petista Fernando Haddad (SP) foi decisiva para definir a troca.

Irmã do compositor Chico Buarque, Ana de Hollanda é cantora e fez carreira na burocracia estatal, trabalhando inclusive na Funarte. Sua gestão foi marcada por críticas e poucas realizações. Em diversas oportunidades, o Planalto teve que negar a saída da ministra.

A atuação de Ana Hollanda tem sido alvo de muitas críticas e campanha dentro do próprio PT, que teve início com o cancelamento da nomeação do sociólogo Emir Sader para presidir a Fundação Casa de Rui Barbosa.

No ano passado, a CGU (Controladoria Geral da União) determinou ainda que Ana devolvesse cinco diárias que recebeu quando estava no Rio de Janeiro sem compromissos oficiais. Em março, a Comissão de Ética Pública da Presidência pediu esclarecimentos à ministra por ter recebido camisetas da escola de samba Império Serrano para desfilar no Carnaval.

 

TAGS: