O susto de Monalisa, ao vivo.

31/10/2011 - 16:14 |

 

REDAÇÃO

A repórter Monalisa Perrone estava em um link ao vivo para o Jornal Hoje, da Rede Globo, da porta do Hospital Sírio Libanês, no início da tarde desta segunda-feira (31), quando foi interrompida por um jovem que se aproximou dela correndo e deu um grito para a câmara (veja o vídeo abaixo).

.Assustada, ela interrompeu a transmissão e foi retirada de cena. Mais tarde, Monalisa disse que em 20 anos de profissão, ela nunca havia passado por nada do tipo. Sem condições de prosseguir, passou a reportagem para o colega José Roberto Burnier, que pôde, finalmente, dar informações sobre o internamento de Lula no hospitala para dar início às sessões de quimioterapia para tratamento de um câncer na laringe.

A Central Globo de Comunicação  informou tratar-se de pessoas cujo propósito é aparecer. “Não é a primeira vez. Como houve agressão, a TV Globo estuda que medidas legais tomar”.

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) divulgou uma nota, em que se diz “estarrecida com o ato de vandalismo”.

Leia a íntegra da nota da ABI:

“A ABI (Associação Brasileira de Imprensa) de São Paulo, estarrecida com o ato de vandalismo contra a jornalista Monalisa Perrone durante sua participação ao vivo no Jornal Hoje, vem prestar solidariedade à jornalista e à direção de jornalismo da Globo, num momento tão delicado onde vândalos agridem a liberdade de imprensa e o trabalho do jornalista.

Jamais, em tempo algum, ato de agressão física é aceito por qualquer motivo que seja. Debates e diferenças de ideias devem ser mostradas em discussões civilizadas e com o mínimo de dignidade.

O ato de agredir publicamente um jornalista no desempenho de sua profissão e no desempenho da informação livre ao povo é o mais baixo de todos os atos, que deve ser punido como tortura contra a pessoa, que foi o que realmente aconteceu, além de ameaça direta e pública contra o povo livre.

A ABI já viveu momentos de defesa da liberdade de imprensa contra as torturas e ameaças de violência contra a liberdade de ideias nos momentos mais triste do Brasil.

Exatamente por isto não podemos deixar de passar este momento de agressão à mídia e à imprensa sem prestarmos solidariedade à Rede Globo e repulsa a todos aqueles que agridem moral e fisicamente a liberdade.

Rodolfo Konder e James Akel”

Veja o vídeo: