Moro teme lentidão judicial

9/09/2015 - 18:50 |

 

REDAÇÃO

Foto: Fabio Pozzebom/ABr

No Senado, o juiz Sérgio moro, que conduz a Operação Lava Jato, disse temer pela lentidão da Justiça brasileira para julgar casos de corrupção, devido a entraves no sistema. Como exemplo de sua tese, Moro citou casos do Banestado, no Paraná e do “Propinoduto”, no Rio de Janeiro. Ambos os escândalos caducaram devido à morosidade dos sistemas penal e judicial e a maioria dos réus continua solta.

A reunião de Sérgio Moro com membros da Comissão de Constituição e Justiça do Senado é parte das discussões em torno da alteração do Código de Processo Penal no Brasil. Os defensores da alteração querem que as penas sejam executadas no decorrer dos processos, evitando assim que os crimes prescrevam. “O lugar comum em casos complexos é que dificilmente chegam ao fim. O sistema judicial penal é muito moroso”, completou o juiz na audiência.

Durante o encontro com os senadores, Moro fez questão de lembrar que a Operação Lava Jato e o escândalo do Mensalão são desdobramentos do Banestado e do “Propinoduto”, que abriram caminho para diversos inquéritos cujas ramificações seguem surgindo no país.

 

TAGS: