Governo diz que greve dos médicos não afeta Central Regulação na Bahia

16/01/2016 - 16:35 |

 

REDAÇÃO

Apesar da greve que paralisa 70% dos médicos da Central Estadual de Regulação da Bahia, o Governo afirma que o serviço não foi comprometido e que se mantém em atividade 24h por dia.

De acordo com a secretaria da Saúde, não há qualquer tipo de desassistência, e a regulação de pacientes é feita sem intercorrências. Segundo a Sesab, está em andamento o processo de negociação com a categoria de médicos reguladores, conduzido pela Secretaria da Administração, porque o pleito principal é a retirada do adicional de insalubridade, ação correcional realizada por meio da Saeb e respaldada pela Procuradoria Geral do Estado e da Auditoria Geral do Estado, que identificaram irregularidades na prática remuneratória do adicional.

De acordo com a Secretaria da Saúde, são realizadas reuniões periódicas com as entidades de classe. Os servidores que considerarem que executam atividades, ou operações insalubres, devem se dirigir ao setor de Recursos Humanos da sua unidade, a fim de que seja encaminhado o processo para a reavaliação da Junta Médica do Estado, órgão competente para a concessão, inclusive com efeito retroativo.

Greve – Os reguladores suspenderam as atividades – exceto os 30% exigidos por lei para garantir o mínimo de assistência à população – na quinta-feira (14). De acordo com o Sindicato dos Médicos da Bahia, as condições de trabalho na Central de Regulação são bastante precárias, e faltam trabalhadores para o volume de trabalho que esta função impõe. Isso sem contar que o tempo que esses profissionais dispõem para atender, avaliar e direcionar as ocorrências de acordo com a gravidade é muito pequeno – apenas 3 minutos.

TAGS: