Rui Costa diz em Brasília que a Bahia não abrirá mão da Fiol

28/10/2015 - 17:30 |

 

REDAÇÃO

Foto: Divulgação

O governador da Bahia, Rui Costa, defendeu nesta quarta-feira (28), em Brasília, a continuidade das obras de construção da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol), e se posicionou contra o encurtamento da estrada de ferro, durante encontro com membros do Tribunal de Contas da União (TCU). Na semana passada, o tribunal sugeriu que a ferrovia fosse reduzida após conclusão do trecho entre Ilhéus e Caetité, de modo a adiantar as obras. A recomendação do TCU sugere ainda uma discussão sobre o custo-benefício da ferrovia.

“A Fiol é um sonho dos baianos que está se materializando. A ferrovia é um indutor de desenvolvimento e, portanto, importantíssima para a Bahia, para o Centro-Oeste do País”, disse o governador. Rui avisou aos ministros que atuará pela ligação da Fiol com a ferrovia Bioceânica – incluída no programa de investimento em logística 2015/2018 do governo federal -, para o aumento da competitividade da Bahia e do Brasil.

Segundo o governador, “o rigor para manter a coisa pública pode ser combinado com a celeridade das obras. Basta encontrar o modelo e o ritmo corretos”. Rui ainda condenou a premissa de que todo gestor é corrupto e assinalou ser necessária a articulação entre tribunais de controle e o Poder Executivo para que as obras sejam sempre transparentes e executadas de maneira rápida, como espera a população.

Comitiva - O gabinete do presidente do tribunal, Aroldo Cedraz, recebeu cerca de 30 pessoas, entre senadores baianos e tocantinenses, deputados federais e deputados estaduais. Pelo TCU, participaram ainda os ministros Augusto Sherman, que relata a obra da Fiol, Bruno Dantas e Augusto Nardes.

 

TAGS: