Dia da Consciência Negra é comemorado na Assembleia

25/11/2011 - 13:36 |

 

REDAÇÃO

Foto: Ascom / AL-BA

A atriz Neuza Borges ganhou a cidadania baiana e foi homenageada na Assembleia Legislativa da Bahia durante a sessão especial dedicada às comemorações do 20 de Novembro, o Dia da Consciência Negra. O prestígio e a importância da atriz na Bahia foram demonstrados na intensa e calorosa participação de lideranças e integrantes do movimento negro, autoridades e amigos, que lotaram o plenário, na tarde de quinta-feira (24).

O proponente do título de cidadania à atriz, deputado Bira Corôa (PT), que também preside a Comissão de Promoção da Igualdade, entregou a honraria sob muitos aplausos. “O 20 de Novembro e a luta da Bahia negra ganham mais força ao homenagear uma atriz que se destaca como militante pela igualdade racial no Brasil, denunciando a discriminação sofrida por atrizes negras na televisão brasileira”, disse.

A sessão especial também homenageou outro importante ativista da valorização da cultura negra no país: o intelectual, ator e político Abdias do Nascimento, que faleceu em maio deste ano.

Para Bira Corôa, destacar o trabalho e contribuição de Neuza Borges e Abdias Nascimento é uma forma de ressaltar “o exemplo e a história que queremos fortalecer na sociedade brasileira”.

A prefeita de São Francisco do Conde, Rilza Valentim, e a representante da Casa Maria Felipa, Hilda Clarinda das Virgens, foram homenageadas com o Troféu Pérola Negra, concedido às mulheres que contribuíram na luta pela igualdade e manutenção da cultura negra. A filha da líder religiosa Mãe Eulina também recebeu o troféu representando a mãe já falecida.

A sessão especial também foi um momento para reivindicações. Durante o discurso, Bira Corôa pediu aos colegas deputados urgência na aprovação do Estatuto da Igualdade. “Esse é um compromisso que a Assembleia deve ter com o povo negro”, destacou o parlamentar. Ele também chamou a atenção para a necessidade de instalar delegacias especializadas no combate ao racismo, conforme indicação feita por ele ao Governo do Estado.

Trajetórias – Neuza Borges é um dos grandes ícones negros da dramaturgia brasileira. Antes de estrear na televisão, na telenovela Venha ver o sol na estrada, com Márcia de Windsor, na TV Record, foi crooner de orquestra em casas noturnas de São Paulo. Também passou pela extinta TV Tupi e hoje coleciona prêmios por sua atuação no Cinema e em tramas de sucesso na TV, como Escrava Isaura, Dancin’ Days e A Indomada. Neuza tem 69 anos, 57 dedicados à carreira. Atualmente interpreta a personagem Maria, da novela A vida da gente, da TV Globo.
Já Abdias Nascimento, um dos maiores ativistas do movimento negro do Brasil, que morreu no dia 24 de maio deste ano, deixou um legado de atuação na política, na educação e na cultura. Fundou o Teatro Experimental do Negro em 1944 e criou o Instituto de Pesquisas e Estudos Afro Brasileiros (Ipeafro) em 1981.

Foi deputado federal, senador e secretário estadual do Estado do Rio de Janeiro, além de participar e organizar conferências e congressos nacionais e publicar uma série de livros denunciando a discriminação racial. Abdias viveu durante 13 anos como exilado político nos Estados Unidos e na Nigéria, durante o regime militar no Brasil.

TAGS: