Queda nas vendas leva construtoras a reduzir o ritmo; em Salvador situação é preocupante

27/09/2013 - 7:34 |

 

REDAÇÃO

Construção Civil em Salvador - Foto: Bahia Toda Hora

Com a queda nas vendas de imóveis novos nos últimos dois anos, as construtoras reduziram o número de lançamentos. Mesmo assim, sobram ofertas. Uma pesquisa feita pela Geoimovel/Jornal da Globo mostra que, em nove capitais e no Distrito Federal, o número de unidades recém-construídas e não vendidas – os chamados estoques imobiliários – cresceu muito nos últimos cinco anos.

A situação é mais preocupante em Salvador onde existem 6.295 e Curitiba com 7.985 novos apartamentos em oferta. Na capital baiana, se a indústria da construção civil parasse de construir hoje, seriam necessários dois anos para vender o estoque. O cenário é idêntico em Curitiba.

A alta dos estoques de imóveis levou algumas empresas a criar novas estratégias de comercialização. Um apartamento decorado a venda, por exemplo, pode ser de um empreendimento lançado há 10 meses.

As unidades que não foram vendidas no prazo esperado pela construtora acabaram repassadas a uma imobiliária, que agora oferece os apartamentos com uma baixa no preço. O desconto pode chegar em alguns casos, em apartamento de alto padrão até 40%.

“A oferta está grande e as incorporadoras têm interesse em acabar com seus estoques. Este é o momento para o consumidor pedir desconto, barganhar e fazer valer o seu dinheiro”, diz Celso Amaral, diretor da Geoimovel.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, em 2008, praticamente todos os imóveis lançados tiveram compradores. Neste ano, as vendas chegaram até agora a 68%. Resultado: há mais de 19 mil apartamentos novos esperando por compradores.

Desemprego – Em um ano, a construção civil perdeu 27 mil postos de trabalho na Região Metropolitana de Salvador (RMS), o que representou uma redução de 14% no volume total de empregos mantidos pela atividade.

O setor, que empregava 192 mil pessoas em agosto de 2012, chegou ao mês passado com 165 mil postos de trabalho, de acordo com a Pesquisa Mensal do Emprego (PME), divulgada na quinta-feira (26).

A retração da atividade é apontada como a  principal responsável para o aumento do  desemprego em Salvador  e região metropolitana. A taxa atingiu, em agosto passado, 9,4% da população economicamente ativa. No mesmo mês de 2012, o índice  foi de 6,4%. Esta alta  é considerada  significativa pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), autor da pesquisa.

Resultado da pesquisa Geoimovel/Jornal da Globo