Prefeitura de Salvador reage à implantação de trilhos na Paralela

28/06/2011 - 8:29 |

 

LENILDE PACHECO

Avenida Paralela: alvo da disputa

O secretário estadual Zezéu Ribeiro (Planejamento) tentou frear a polêmica desencadeada pela Prefeitura de Salvador a partir da divulgação do modelo escolhido para projetos de Mobilidade Urbana, analisados no âmbito do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI). Mas não tem jeito. Os poderes Executivo e Legislativo municipal estão dispostos a enfrentar esta batalha; Prefeitura e Câmara atuam juntas no questionamento das ações do Governo da Bahia e pela prevalência dos ônibus na capital baiana.

Na terça (21), o governo estadual anunciou que o sistema de transporte de massa que vai ligar os municípios de Salvador e Lauro de Freitas será misto, formado por veículos sobre trilhos na Avenida Paralela e ônibus nas vias secundárias.

Significa construir uma linha central no canteiro da Avenida Luiz Viana (Paralela), desde o aeroporto até a Rótula do Abacaxi, por onde circulará um veículo sobre trilhos – ainda não se sabe se será metrô ou VLT (veículo leve sobre trilho).

Ônibus convencionais ou articulados, do tipo usado nos sistemas BRT (sigla em inglês para trânsito rápido de ônibus), circularão somente nas vias alimentadoras, como as avenidas Dorival Caymmi e Pinto de Aguiar.

Inviabilidade - Quando a Prefeitura de Salvador constatou que os ônibus ficarão exclusivamente nas vias alimentadoras do modal sobre trilhos da Avenida Paralela, o secretário municipal João Leão (Casa Civil) entrou em campo e apontou a inviabilidade financeira da escolha. “Não temos dinheiro para o modal com trilhos”, resumiu. “Podemos implantar o corredor do BRT (ônibus) para rodar na Copa”.

Nesta segunda-feira (27), a Câmara Municipal de Salvador ingressou na polêmica. O presidente da Comissão de Transporte, Trânsito e Serviços Municipais, Jorge Jambeiro (PSDB), enviou ofício ao prefeito João Henrique, apontando a “intervenção estatal em assuntos que competem à prefeitura municipal”.

“O modelo escolhido causou estranheza, visto que ao longo dos últimos anos foi apresentada e defendida pela prefeitura como solução para os problemas do trânsito e do transporte na cidade a Rede Integrada de Transporte (RIT), baseada no BRT”, diz o vereador no ofício.

A Câmara agendou audiência pública sobre o assunto para 11 de julho (horário ainda a confirmar), no Plenário, e convidou o prefeito João Henrique Carneiro para participar. Na semana passada, o presidente da Câmara, vereador Pedro Godinho, pediu os projetos ao Governo da Bahia.

O projeto de implantação de trilhos, em detrimento dos ônibus na Avenida Paralela, também foi discutido durante encontro entre o prefeito, o secretário José Mattos (Transportes e Infraestrutura), o vereador Jorge Jambeiro e lideranças envolvidas nesta questão.

TAGS: